NO MEIO DO CAMINHO, TINHA UMA PEDRA!

A descentralização do poder e para ontem! de caráter, irrevogável e irretratável, para que haja um equilíbrio, no domínio, pátrio poder.

O poder do discurso, que influencia, fazendo escravos e subservientes, tornando-os presas fáceis, desde os primórdios da civilização, grupos primitivos e não primitivos, os quais seguem uma direção, onde quem esta no comando, dita as regras, não aceitando discórdias, nem contradições, à seus ideias.

A politica escraviza e tornam cidadãos dependentes, onde os interesses de poderosos, são atendidos desta forma, não dando chance aos menos esclarecidos, que se tornam escravos e dependentes de um sistema, onde os direitos tendem a ser direcionados apenas para um lado desta sociedade, já os deveres, não seguem o mesmo caminho, onde se criam um distanciamento grande, entre os que detém o poder, sendo que esta transferência de poder, nem sempre trarão  beneficio individual ou coletivo, sendo que todos os benefícios, não lhes pertencem. Sendo canalizados todos os meios e lucros, que sempre tomarão a direção oposta do povo, tendo uma direção contraria ao povo. houve um direcionamento a privilégios e protecionismo a um grupo seleto de políticos, empresários, banqueiros e toda à elite burguesa, os quais sempre se protegem e lutam, sempre! por seus interesses e de seus partidos e grupos aliados. O regime militar, procurou, descentralizar este controle centralizado e canalizado, usados pelos sistemas políticos. Apesar da representatividade  não tomar o rumo correto, sendo por imposição do sistema em poder, onde generais negociavam entre um grupo seleto e pequeno de pessoas, onde a representação, não seguia um caminho, o qual era democrático e de representação. Nestes sistemas o voto do povo de uma certa forma, não seguiu a dinâmica correta, onde o eleitor esteve no controle. Apesar dos veículos de comunicação, imprensa e mídias, mais o principal  responsável pelo processo. Não opinou! Outro fator complicador, e a forma do processo democrático, onde são filtradas todas as informações, pros eleitores, eles não tem acesso as informações necessárias para fazer um rastreamento sobre o processo e os que estão envolvidos no processo, ficado sem controle sobre seus atos. “São meros passageiros de um sistema” Que são dirigidos por políticos e partidos. Em segundo lugar, para os eleitores que são fatores principais no processo democrático, não chega as informações negativas sobre um todo, chegam apenas informações de ordem positiva, onde há um caráter de influencia e condução de uma situação, onde alguém ganha e alguém perde, e, sempre quem perde e o principal responsável pelo processo democrático, que só saberá do verdadeiro acontecimento, quando não pode regressar a um estagio anterior. Os eleitores a serviço de grandes grupos, sendo vitimas de um sistema desigual e desonesto, em que sua única função e servir aos interesses de megacorporações e seus fantoches políticos. Usando assim um direito do eleitor para que sirva aos interesses de grupos e elites burguesa. No caso de vereador, contando com uma comunidade local, onde quase todos se conhecem, e buscam se ajudar, normalmente famílias, nas escalas mais altas, Governador, Senador, Presidente, há um jogo de interesses, onde os eleitores, são simples bonecos nas mãos dos mesmos, sem nenhuma condição, antes ou após as eleições, estes eleitos somente servirão aos interesses de grupos, oligarquias, empresas e megacorporações. O eleitor neste caso, passa a ser descartado, onde os eleitores dificilmente terão acesso com os eleitos, ficando sempre no impedimento, antes e depois das eleições, neste caso oligarquias e megacorporações, dão as cartas. O individual e coletivo, precisam ser disciplinados, para que as regras deste sistema, onde os pesos e medidas são desiguais, trazendo benefícios para grupos, os quais nem sempre se lembram, ou melhor há um descaso com o detentor do poder de fato, onde este poder e transferido, e em contrapartida não há equilíbrio nesta transação, ou neste acordo. As colônias e suas descolonização, que foram seguidas por grupos políticos trabalhistas e outros, os quais, acreditam estar numa posição superior, o egocentrismo nato, onde o outro, esta as suas ordens e aos seus interesses e dos grupos aos quais o politico pertence, não se importando com o outro, apenas aos seus. Há uma necessidade de reeducação em todas as bases deste sistema, começando pelos mais jovens, no sistema, uma reestruturação voltada para os interesses de todos, não apenas de grupos, corporações ou megacorporações, sendo que o poder e do povo, para o povo, existe uma inversão neste sistema atual. Que precisa ser debatido à curto prazo. Para que em médio prazo, não haja uma falência total deste sistema atual.

Denunciar conteúdo

Tem algo a dizer? Esse é seu momento.

Se quer receber notificações de todos os novos comentários, deve entrar no Beevoz com o seu utilizador. Para isso deve estar registado.